Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caderno Diário

Gosto de escrever e aqui partilho um pouco de mim... mas não só. Gosto de factos históricos, políticos e de escrever sobre a sociedade em geral. O mundo tem de ser visto com olhar crítico e sem tabús!

Caderno Diário

Acidente no Rali Vinho da Madeira

Por vezes, há acidentes que mexem comigo, pela forma como se dão e como poderiam ser evitados. A culpa, não será de "ninguém" mas ficará a "culpabilização" de vários dos envolvidos, até de quem não estava ali no momento, como imagino eu, dos organiozadores da prova.

Este acidente, ocorrido na Serra de Água na Madeira, durante um rali, provocou a morte a uma criança de oito anos. Estava a passar um dos últimos carros em prova, quando a família resolveu atravessar a estrada, tendo sido a menina atropelada apesar dos esforços do piloto em travar. O caso será objeto de um inquérito do Ministério Público.

Miguel Gouveia e Tiago Fernandes, da BMW, estavam a tentar recuperar e tinham encurtado a distância ao carro da frente, mas, ali, na Encumeada, sendo surpreendidos por este grupo de pessoas que decidiu atravessar a estrada. O piloto ainda travou, mas a tragédia foi inevitável. A criança foi assistida no local por dois pilotos em prova, que são socorristas da Cruz Vermelha, antes mesmo da chegada das ambulâncias, que a levou o hospital Nélio Mendonça. O óbito foi declarado poucas horas depois. 

A organização da prova garante que todas as normas de segurança foram cumpridas e que naquele momento a estrada ainda não estava aberta, o público só podia assistir e ficar atrás das fitas brancas colocadas na berma, o que não aconteceu.

Mais uma vez, quando o público não respeita as indicações, os acidentes acontecem. Desta vez de forma mortal e com uma enorme dor para a família. Pr outro lado, estas provas deviam ter outras proteções, pois já deu para perceber por outros casos semelhantes que o público português é especialista em atravessar as fitas ou até as barreiras. Talvez se devam então cancelar este tipo de etapas e passar a ser tudo em circuitos fechados. 

 

 

Fontes:

https://sicnoticias.pt/pais/2022-08-07-Morte-de-menina-no-Rali-da-Madeira-alvo-de-inquerito-do-Ministerio-Publico-e2539696

Desafios do Tik tok

Em morte cerebral. Depois de participar num desafio do Tik-tok, que fez com que desmaiasse por falta de oxigenação, um menino de apenas 12 anos, foi declarado em morte cerebral. Não consigo imaginar a dor terrível destes pais.

A criança sofreu danos cerebrais em abril deste ano, depois de, segundo a mãe, ter participado num desafio nas redes sociais em que os utilizadores são encorajados a suster a respiração até desmaiarem por falta de oxigénio. Desde essa data que o menino está internado no Royal London Hospital, localizado em Whitechapel, na capital britânica.

Os pais não aceitam que as máquinas que o mantém vivo, sejam desligadas, mas o hospital afirma que o rapaz se encontra em morte cerebral e que manter o tratamento de suporte artificial de vida "não está de acordo com os melhores interesses da criança". O desejo dos pais é que seja permitido ao filho ter uma morte "natural". É tão duro aquilo que eles estão a passar.

No entanto, os tribunais britânicos têm respondido negativamente aos pedidos do casal, dando razão ao hospital. Sabendo que a data da interrupção do tratamento se aproximava (estava marcada para esta segunda-feira, 1 de agosto) os pais decidiram interpor um recurso para adiar o momento em que as máquinas irão ser desligadas. O recurso permitiu que ganhassem algum tempo, mas não o suficiente, uma vez que o recurso foi recusado. 

Mas e quanto às redes sociais? Devemos poibir, ou basta estarmos atentos?

Podemos prevenir que as crianças participem neste tipo de desafios? E será mesmo possível fazê-lo?

Este menino fez um desafio chamado "blackout challenge" em que se tem de usar um cinto ou algo para ir apertando o pescoço até desmaiarem. Ele poderia ter-se negado a fazê-lo, poderia ter dito apenas "não".

A necessidade de se sentrir aceite num determinado grupo, acompanhava-nos a nós também. "Não és capaz de tocar à campainha da D. Amélia!" - e lá ia um de nós tocar e fugir a correr. Agora as brincadeiras são feitas sozinhos em casa, mas com os "amigos" atrás de um ecrã. Acho que agora as parvoíces são maiores. Ou melhor, deixaram de ser parvoíces como as que nós fazíamos e passaram para algo muito grave.

Com um filho da mesma idade, preocupo-me sim.

 

Fontes:

https://expresso.pt/sociedade/2022-08-03-Desafio-do-TikTok-colocou-Archie-em-morte-cerebral.-Apertar-pescoco-e-reflexo-de-comportamento-destrutivo-alerta-pedopsiquiatra-1178dc78

https://sic.pt/programas/casafeliz/desafio-de-tik-tok-deixa-jovem-de-12-anos-em-morte-cerebral-esta-na-internet-qualquer-crianca-tem-acesso/

 

Pág. 2/2