Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caderno Diário

Gosto de escrever e aqui partilho um pouco de mim... mas não só. Gosto de factos históricos, políticos e de escrever sobre a sociedade em geral. O mundo tem de ser visto com olhar crítico e sem tabús!

Caderno Diário

Tiroteio do Texas

Mais uma vez os EUA são notíca pelos piores motivos e mais uma vez se volta a falar de armas de fogo. Esta terça-feira, pelo menos dezanove crianças e dois adultos - duas professoras - morreram num tiroteio numa escola primária em Uvalde, no Texas.

O atirador tinha apenas 18 anos, chamava-se Salvador Ramos e, aparentemente, foi morto pelas autoridades policiais que compareceram ao local. O atirador terá ainda disparado contra a avó antes do massacre na escola. A senhora foi atendida no hospital com ferimentos graves. Salvador terá ido de carro e após um acidente, abandonou a viatura e entrou no estabelecimento de ensino, supostamente com a polícia no seu encalço já. Tinha em sua posse um revólver e uma espingarda no momento do ataque, estando também a usar um colete à prova de bala.
 
Há dez anos, 20 crianças e seis adultos foram mortos numa escola primária em Newtown, Connecticut. Uma tentativa de aprovar uma lei de controlo de posse de armas após essa tragédia, na qual Joe Biden esteve envolvido como vice-presidente, acabou por encontrar oposição no Senado.
 
 
Fontes:
https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/de-casa-ate-a-escola-o-percurso-de-destruicao-do-adolescente-responsavel-pelo-atentado-no-texas

Ucrânia vence Festival Eurovisão

A grande final da Eurovisão realizou-se ontem em Turim, Itália. A Ucrânia, com a canção "Stefania", da Kalush Orchestra, é a grande vencedora do Festival da Eurovisão 2022. Esta é a terceira vitória da Ucrânia neste evento e desde logo se assumiu como a grande favorita desta edição. É a primeira vitória na Eurovisão de uma canção com componente hip-hop.

"Saudade, Saudade", na voz de Maro, de 27 anos, conseguiu o nono lugar, igualando a classificação de Tonicha, em 1971, com "Menina" e de Manuela Bravo em 1979, com "Sobe, Sobe, Balão Sobe". De recordar que Portugal participa no concurso europeu desde 1964, tendo vencido pela primeira e única vez em 2017 com o tema “Amar pelos Dois”. Salvador Sobral continua a ser o vencedor com a maior pontuação de sempre na Eurovisão (758 pontos).

Fontes:

https://expresso.pt/blitz/2022-05-14-Ucrania-e-a-vencedora-do-Festival-da-Eurovisao-2022-9be4766b

https://media.rtp.pt/extra/noticias/ucrania-vence-eurovisao-2022-portugal-no-top10-com-segundo-melhor-resultado-de-sempre/

 

Hoje é Dia Mundial da Fibromialgia

Ainda estou a aguardar um diagnóstico definitivo, ou seja, uma declaração por escrito que indique preto no branco que sou portadora. Mas a Fibromialgia já me acompanha há alguns anos, mesmo sem eu saber.

Segundo alguns médicos, é uma doença difícil de diagnosticar e outros acham que ela não existe. Posso-vos dizer: sim, existe. E é uma condição que nos debilita e com a qual é muito difícil de lidar!

Segundo um artigo do Drº João da Fonseca, do Serviço de Reumatologia e Doenças Ósseas Metabólicas, do Hospital de Santa Maria, alguns casos surgem no contexto de dor crónica prévia (um traumatismo, um problema ortopédico ou uma doença reumática crónica, como por exemplo a artrite reumatóide).

A fibromialgia resulta de um processo crónico de generalização e amplificação dolorosa e é considerada atualmente como uma perturbação de integração da dor a nível central (córtex cerebral). Há uma amplificação do sinal nociceptivo com uma diminuição do limiar da dor.

Segundo este mesmo especialista, a intervenção terapêutica é difícil, mas é fundamental a perceção correta por parte do doente do seu diagnóstico e em que consiste a fibromialgia. Nesta mesma linha a intervenção psicológica cognitivo-comportamental é um reforço importante na evolução positiva do quadro clínico. Outros aspetos críticos são a correção dos problemas de sono e/ou de um estado depressivo e o exercício físico regular.

Falando no aspeto terapêutico, no meu caso foi difícil de acertar com as doses certas e com os fármacos correto. Ao início andava ora cheia de dores, ora quase drogada, sem me conseguir levantar nem ter uma vida normal e produtiva. Só na Unidade da dor do Hospital Garcia de Orta, a médica conseguiu perceber quais eram as minhas limitações.

Segundo o Drº João da Fonseca, relaxantes musculares, com destaque para a ciclobenzaprina, podem oferecer algum controlo da dor e benefício no padrão de sono. os antiepiléticos como a pregabalina e a gabapentina podem ser usados com o mesmo objetivo. O tratamento de episódios de agravamento da dor deve ser iniciado com paracetamol ou com a associação paracetamol-tramadol. O uso de antidepressivos deve ser considerado numa perspetiva de interferência com os sintomas dolorosos e/ou, se justificado, para o tratamento de uma depressão concomitante. 

 

Fontes:

https://www.medicina.ulisboa.pt/hoje-e-dia-mundial-da-fibromialgia

Dia internacional da Liberdade de Imprensa

A liberdade de imprensa é um dos direitos fundamentais de um país, uma vez que são os jornalistas e repórteres que trazem até nós as notícias do que se passa no mundo. Hoje em dia, não me imagino a viver sem televisão ou internet, através da qual possa estar informada e atualizada sobre o que vai acontecendo. Da minha vida diária, fazem parte os jornais (agora já não tanto em papel), que leio todos os dias e com os quais me vou mantendo informada.

Hoje em dia, tudo se sabe, mesmo que se tenha passado do outro lado do mundo. Mas infelizmente, esta liberdade, nem sempre foi assim, e não é ainda assim em todos os países! Hoje as minhas palavras vão ao encontro da valorização da profissão de jornalista e, em especial, nos tempos que correm, da excelência daquilo que a imprensa tem feito nos diversos teatros de guerra. Que se celebrem as carreiras destes profissionais, a sua valentia e coragem, porque nós leitores e consumidores, apenas ficamos no conforto das nossas casas à espera daquilo que nos trazem, tantas vezes já filtrado para que não nos doa tanto ver.

Nas palavras da Assembleia da República, "uma Imprensa forte e livre significa uma Democracia forte e livre." Nesta data, proclamada a 20 de Dezembro de 1993, com uma decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas, assinala-se o direito a informar e a ser informado. Uma imprensa livre é essencial em qualquer sociedade. 

"Numa situação pandémica sem precedentes, foi a imprensa a responsável por fazer chegar a informação a todas e a todos os portugueses. Hoje, com uma nova crise associada à guerra, volta a ser a imprensa o meio fundamental e determinante para a transmissão da verdade dos factos." São vários os países onde, ainda hoje, não há liberdade de imprensa, nem sequer liberdade de expressão ou direito de reunião. Azerbaijão, México e Libéria são apenas três exemplos, mas muitos mais existem.

Este ano, não nos podemos esquecer que "já foram mortos 10 trabalhadores ucranianos e internacionais de meios de comunicação social desde que a Rússia lançou, em 24 de fevereiro, a ofensiva militar na Ucrânia." A Rússia está de facto a tentar impedir que o mundo saiba a verdade, ao “deter, sequestrar e visar” repórteres.

A construção da civilização e da sociedade portuguesa, passou por várias épocas em que a liberdade de expressão e, consequentemente a liberdade de imprensa, não existiam. Se voltarmos atrás na nossa história, até Luís de Camões, um dos grandes escritores portugueses, "teve de submeter o texto de Os Lusíadas aos censores do Santo Ofício, no Mosteiro de S. Domingos, discutindo-o verso a verso." 

Em Portugal, é a Constituição de 1822 que vem estabelecer a liberdade de imprensa ("a livre comunicação de pensamentos"), "sem necessidade de censura prévia, ainda que se ressalve que quaisquer abusos pudessem ser sancionados nos casos e na forma que a lei determinar. Mas no período do Estado Novo, "o regime ditatorial suprimiu todas as liberdades democráticas da República liberal incluindo a liberdade de imprensa estabelecendo a censura aos jornais, livros e espectáculos, nomeadamente o cinema e o teatro."

Neste regime, "quer se tratasse de um jornal diário quer de um simples  periódico de província com tiragens ínfimas, todo o material impresso, texto e imagem, passava pelo crivo do censor. A desobediência relativamente aos cortes efetuados era severamente punida, não só com multas," mas também "com a suspensão do jornal por períodos mais ou menos longos, o que acarretava frequentemente o seu encerramento." Esta era uma "censura prévia administrativa exercida  por comissões de censura disseminadas pelo país." Quem escrevia, tinha sempre sobre si o peso do censor, de saber que tudo o que escrevesse, iria ser lido e interpretado ao gosto de quem não queria que o que se ia passando no país se soubesse. "Alguns autores começaram, então, a usar termos metafóricos: em vez de Socialismo, escreviam "Aurora", em vez de Revolução, escreviam "Primavera", em vez de Polícia."

Uma dessas graves situações aconteceu em 1965, quando a "Sociedade Portuguesa de Autores teve a ousadia de atribuir o «Prémio Camilo Castelo Branco» ao escritor angolano Luandino Vieira, pelo seu livro Luuanda." O autor tinha sido preso e cumpria "uma pena de 14 anos de prisão, no Tarrafal, sob a acusação de terrorismo (lutava pela independência de Angola). A consequência foi a extinção da Sociedade, por despacho do Ministério da Educação, e da vandalização da sua sede em Lisboa. A notícia foi proibida em todos os jornais." 

Em Portugal, podemos afirmar que a liberdade de expressão foi, sem dúvida, uma das maiores conquistas do 25 de Abril de 1974. "Rapidamente apareceram também as críticas de determinados sectores da população que se insurgiam contra o excesso de liberdade que tomava conta dos jornais, revistas, televisão, rádio, teatro e cinema." Para mim, liberdade nunca é em excesso desde que respeite também a liberdade e o lugar do outro. 

Fontes:

https://www.presidencia.pt/atualidade/toda-a-atualidade/2022/05/dia-mundial-da-liberdade-de-imprensa/

https://rr.sapo.pt/noticia/mundo/2022/05/03/dia-mundial-da-liberdade-de-imprensa-assinalado-em-contexto-de-guerra/282588/

https://www.rtp.pt/noticias/mundo/dia-mundial-da-liberdade-de-imprensa-assinala-se-sob-o-lema-jornalismo-na-era-digital_n1402387

https://pt.wikipedia.org/wiki/Censura_em_Portugal

 

 

Confinada

Fechada em casa depois de ter sido diagnosticada com Covid, ontem. Estava com alguns sintomas e, apesar de vacinada, achei melhor ir fazer um teste. Em casa, o auto teste acusou logo positivo e fui à farmácia para confirmar. Pouco tempo depois ligaram-me a confirmar as minhas piores suspeitas.

Sinto-me "apenas" um pouco engripada, mas as dores no corpo e em especial nas articulações pioraram bastante de ontem para hoje. Os meus antecedentes podem estar a contribuir para isso, porque já costumo ter bastantes inflamações ao nível das cápsulas articulares.

Psicologicamente, é que estou pior. Ia começar amanhã a trabalhar num sítio novo. Estava super entusiasmada, com tudo preparado para um grande arranque, com imensas expetativas e agora, tive de adiar o meu início. Não tive culpa, mas também não tive cuidado, deixei-me levar na onda do alívio das medidas, da retirada da máscara. Dois anos depois eu já não estava a aguentar, mas se fui tão rigorosa até aqui, pergunto-me agora porque baixei a guarda e me deixei levar em momentos de descuido.

Está aqui o resultado. Infelizemente, não consegui escapar, espero ter-me resguardado em casa a tempo de não ter contagiado mais ninguém, além de mim. Já é mau demais.