Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caderno Diário

Caderno Diário

28
Mar18

"Tim"

Elsa Filipe

Em "Tim", de Colleen McCullough, a história passasse num bairro calmo de Sydney, na Austrália, onde um grupo de operários trabalha na casa ao lado da de Mary Horton, uma mulher madura e solteira, cuja vida tem sido basicamente dedicada ao trabalho.

Tim Melville, vinte e cinco anos, operário, é filho de Ron e Esme Melville que o receberam como uma dádiva para o seu tardio casamento. Tim tem a beleza e a graça de um deus grego, mas é um simples de espírito, uma criança grande.

No entanto, Ron e Esme, modestos operários australianos, pessoas sensatas e sem ambições, preparam-no para trabalhar segundo as suas possibilidades. Tim é um trabalhador insignificante de uma empresa de construção civil, infatigável e esforçado. Dias de trabalho pesado e fins-de-semana passados com o pai num pub e noites tranquilas junto da família, a ver televisão, representavam para Tim toda a sua perspectiva de vida.

Quando Mary encontra Tim e o contrata como jardineiro durante os fins-de-semana, uma ligação muito forte vai nascer entre eles. Mary sente por Tim o mesmo tipo de amor que sentiria pelo filho que nunca teve. Tim, em contrapartida ensina-lhe a ver o mundo de uma maneira mais simples e optimista, trazendo à sua vida solitária o calor e o afecto que lhe faltavam, mesmo sabendo que Tim é um jovem de perturbadora beleza e sorriso resplandescente, que padece de uma deficiência mental.  Uma relação que modificará ambos, já que a luz interior dele acabará por regenerar a sua vida, e a sua sabedoria despertará nele um desejo de melhoria pessoal.

22
Mar18

"Juntos ao Luar"

Elsa Filipe

"Juntos ao Luar" de Nicholas Sparks é um livro que nos fala de autismo, do síndrome de Asperger, da guerra, de morte, mas principalmente do verdadeiro amor. Daquele em que o que interessa é fazermos o outro feliz mesmo que com isso nos façamos sofrer a nós mesmos.

"No entanto, mais importante que tudo, descobri que, quando o meu pai era novo, eram raros os médicos capazes de compreender sequer as características ou os sintomas da doença e que se algum problema houvesse, os pais dele nunca teriam descoberto."

Quando o soldado John Tyree conhece Savannah Curtis, universitária idealista que se encontra de férias escolares, um forte romance nasce entre eles. Durante sete anos de um tumultuado relacionamento, o casal vai-se encontrando apenas esporadicamente e mantém contato por meio de cartas de amor. Porém, a correspondência entre o casal desencadeia consequências imprevisíveis.

20
Mar18

"Os filhos do Paraíso"

Elsa Filipe
Este foi outro dos livros que adorei ler (li-o em 2012, já lá vão uns aninhos). É um daqueles calhamaços que demoramos meses a ler, mas que depois nos custa a terminar.

 

Quando Jonh Tautin, um controverso locutor de rádio, divulga a ameaça de um sismo provocado por um grupo terrorista, quase ninguém leva a notícia a sério.

Em todo o caso, as autoridades da California preferem jogar pelo seguro e Judy Maddox, jovem e brilhante agente do FBI, é encarregada de investigar o caso.

 

"Agora o céu está escuro com nuvens cor de ferro, e um vento frio varre as roupas das pessoas, mas elas continuam a andar pelas vinhas, a baixar-se e a levantar-se, a sorrir umas para as outras e a conversar em vozes baixas, normais. Ele é o único que consegue vislumbrar o perigo, e apercebe-se de que deve pegar numa, duas ou mesmo três crianças e salvá-las do afogamento."

 

Ken Follett prima pela forma como usa a linguagem para nos levar logo diretamente para o meio da história, sentindo já o frio da água a subir e o coração a bater mais rápido enquanto leio cada linha.
15
Mar18

"O codex 632"

Elsa Filipe

"O codex 632" foi a minha companhia no verão de 2008, um dos grandes livros que li nesse ano.

É baseado em documentos históricos genuínos, que nos levam numa surpreendente viagem pelo tempo, uma aventura repleta de enigmas e mitos, segredos encobertos e pistas misteriosas, aparências enganadoras e factos silenciados, um autêntico jogo de espelhos onde a ilusão disfarça o real para dissimular a verdade.

Sobre o autor:

José Rodrigues dos Santos nasceu na cidade da Beira, em Moçambique, é jornalista, correspondente de guerra, professor universitário, é também um ensaísta e romancista. Especialmente nesta última vertente, tornou-se dos escritores portugueses contemporâneos a alcançar maior número de edições com livros que venderam mais de cem mil exemplares cada. Até ao final de 2012 publicou quatro ensaios e dez romances. O seu romance de estreia foi "A Ilha das Trevas".  

12
Mar18

"Memórias de uma Gueixa"

Elsa Filipe

"Uma história como a minha nunca devia ser contada..."

Um livro que li em 2009 e foi daqueles que mais me impressionou pela dureza e pela forma como nos conseguimos embrenhar no enredo, sentir a dor, as alegrias, a tristeza e a esperança de uma criança que se vem a tornar numa das mais conceituadas gueixas do seu tempo.

Passada num mundo secreto, a história começa nos anos que antecedem a II Guerra Mundial, quando uma criança japonesa é arrancada à sua família para ir trabalhar como serva numa casa de gueixa. Apesar de uma rival traiçoeira, que quase quebra o seu espírito, a criança desabrocha, transformando-se na lendária gueixa Sayuri. Bela e muito dotada, Sayuri cativa os homens mais poderosos do seu tempo mas é assombrada pelo seu amor secreto, um homem fora do seu alcance.

02
Mar18

"A máscara de Ababol"

Elsa Filipe

Em 2008, um dos livros que me acompanhou foi "A máscara de Ababol", de Susana Prieto e de Lea Veléz e posso dizer que apesar de ser um livro enorme, as suas páginas devoram-se.

A história passasse no século XIX, em Espanha. Por entre tesouros escondidos, manuscritos perdidos e sociedades secretas, Ababol reencontra, Alejandro Navarro após quinze anos de ausência. Ele é apaixonado por Ababol desde que esta era ainda uma criança. Só que agora é uma mulher instruída e determinada e Alejandro quer devolver-lhe um objecto que fora para si um precioso talismã em inúmeras batalhas e escaramuças: a esfera de âmbar, que é, simultaneamente, a chave de um tesouro da família de Ababol.

O regresso de Alejandro coincide com uma série de duelos, em que alguém mudo e de rosto tapado, se bate durante as madrugadas com algumas das personagens mais ilustres da corte de Fernando VII.

Neste romance de duelos, aventuras e romance, as autoras descrevem os anos conturbados do reinado de Fernando VII, marcados pela repressão régia e pelas tentativas de várias sociedades secretas para recuperar a constituição de Cádis.

Movendo-se entre duas sociedades, uma burguesa e elegante, a outra secreta e rebelde, está Ababol, a protagonista que se mascara para defender os fracos e oprimidos, numa versão feminina do Zorro.

Sobre as autoras;

Susana Prieto nasceu em Puebla de Sanabria, em 1962, tendo estudado Relações Públicas em Madrid.
Lea Veléz, que nasceu em Madrid em 1970, estudou Ciências da Informação na Universidade Complutense. É diplomada pela ECAM (Escola de Cinema e do Audiovisual de Madrid), na especialidade de guião cinematográfico.

O primeiro romance de ambas, A Casa do Destino, editado pela Casa das Letras, foi igualmente bem recebido pelo público, tanto em Espanha como em Portugal.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub